terça-feira, 31 de julho de 2012

Bamberg: a capital mundial da cerveja


A Francônia, no norte da Bavária, é a região coma maior densidade de cervejarias no mundo. Não é incomum pequenas cidades ostentarem 2 ou 3 cervejarias que produzem lagers de altíssima qualidade. Bamberg é um centro econômico, histórico e cultural na Francônia. Entre os séculos 10 e 17 Bamberg foi residência de reis, imperadores e filósofos. A catedral de Bamberg que celebrou nesse ano 1000 anos, com seu famoso Domreiter, é um exemplo dessa magnífica herança medieval de Bamberg.
Outra herança medieval da cidade são suas cervejarias. Atualmente a cidade possui 9 cervejarias, são elas: Ambräsianum (que é, na verdade, um brewpub), Fässla, Greifenklau, Kaiserdom, Keesmann, Klosterbräu, Ma
Uma quantidade respeitável para qualquer cidade no mundo, e muito mais para uma cidade de pouco de mais de 70.000 mil habitantes. Para se ter ideia, hoje, em Bruxelas, existem apenas duas cervejarias, em Munique, 9 cervejarias. Portland, Oregon, é a cidade com o maior número de cervejarias no mundo, com 51, uma densidade ainda menor que a de Bamberg, considerando a população de Portland.
Mas não é apenas a quantidade de cervejarias em Bamberg que faz desse cidade, para mim, a capital mundial da cerveja. A qualidade e autenticidade das cervejas produzidas em Bamberg são incríveis. Não bastasse, Bamberg também é a casa da mais conhecida produtora de malte do mundo, a maltaria Michael Weyermann.
Em nenhuma outra cidade que visitei (incluindo, Londres, Bruxelas, Antuérpia, Bruges, Amsterdam, Düsseldorf, Colônia e Munique) o consumo de cerveja é tão lugar comum quanto em Bamberg. Em Bamberg se toma cerveja no café da manhã, o famoso Früschoppen; no almoço; durante a tarde, o igualmente famoso Brotzeit; durante o jantar e claro uma saideira antes de ir para a casa. A variedade das cervejas, embora todas sejam lagers, também impressiona. Ótimas Pilsen, Helles, Weizen, Kellerbier, Ungespundetes, Dunkel, Bock e claro, a cerveja original de Bamberg, as Rauchbier. Produzidas com malte defumado as Rauchbier apresentam aroma e sabor defumados que variam desde relativamente sutis, como na Spezial Rauchbier,
até extremamente acentuados, como na clássica Aecht Schlenkerla Rauchbier Märzen. Essas cervejas podem ser degustadas diretamente no bar das cervejarias (Brauereiausschank) ou nos ótimos cafés da cidade (Zum Domreiter e Café Abseits, por exemplo).
Na minha visita a Bamberg provei algumas das ótimas cervejas lá produzidas. O bar da Schlenkerla, no centro da cidade, há poucos metros da catedral, é algo de fantástico. Certamente um dos melhores lugares para se beber cerveja que já visitei. O bar centenário parece não ter mudado muito ao longo de toda a sua história. As cervejas, como nas outras cervejarias tradicionais de Bamberg e na Alemanha em geral, são servidas diretamente do barril de carvalho. Além da tradicional Märzen, estava sendo servida, fresca do barril, a cerveja sazonal do verão, a Kräusen, que nada mais é do que um blend de cerveja maturada com uma cerveja que ainda está fermentando. A Kräusen tem um teor alcoólico relativamente baixo (4,5% ABV), por causa do blend, e sabor defumado menos acentuado do que na Märzen. Mesmo assim uma ótima cerveja.
Há alguns minutos da Schlenkerla, a Brauerei Spezial, produz uma deliciosa lager defumada e uma Märzen, comparável a da Schlenkerla. Se Rauchbier não satisfaz o seu paladar (então você tem algum problema, obviamente) atravesse a rua saindo da Spezial e entre na Brauerei Fässla. Uma ótima Pilsen e uma ótima Helles são servidas lá, frescas do barril de carvalho. A Bock Bambergator e a Dunkel Zwergla são servidas na garrafa.
São tantas cervejas em Bamberg que falar sobre todas elas seria entediante, cruel, ou talvez os dois. Vale mais a pena fazer uma visita.

Prosit!