sexta-feira, 12 de março de 2010

Brouwerij Sint Bernard

Localizada em Watou, a apenas alguns kilometros de Poperinge, a cervejaria Sint Bernard produz sete tipo de cervejas e uma cerveja especial para o Natal. As cervejas de produção regular na cervejaria são: St. Bernardus Abt 12, St. Bernardus Prior 8, St. Bernardus Pater 6, St. Bernardus Tripel, Watou Tripel, Grottenbier e St. Bernardus Witbier. Todas elas possuem qualidade impressionante, sendo que a Grottenbier foi escolhida por Michael Jackson (não precisa falar qual né?) como uma das 10 melhores cervejas da atualidade.
Watou é um pequeno vilarejo, localizado na região de West-Vlaanderen, que abriga os últimos campos de lúpulo existentes na Bélgica. Apesar da proximidade da fronteira com a França, a língua falada na região é o neerlandês e a bebida tradicional é a cerveja. Além da St. Bernard, a cervejaria
Van Eecke também está localizada em Watou. Outras cervejarias menores e menos conhecidas, além das míticas cervejas produzidas pela Sint-Sixtusabdij, são originárias da região em torno de Watou e Poperinge, fazendo este lugar especial para os apreciadores de cerveja.
Minha visita a Watou começou no Bed & Breakfast da cervejaria St. Bernard. Lá fomos extremamente bem recebidos pela simpática Jackie, que nos fez sentir em casa em um belíssimo lugar. Recomendo a todos que desejam visitar a região um dia, não deixarem de passar uma noite no B&B da cervejaria. O capricho dos donos do lugar combinado com o charme nautural da região tornam este B&B extremamente aconchegante.

Lá, bem ao lado da cervejaria, tive a oportunidade de degustar todos os rótulos da Sint Bernard com exceção da cerveja de natal e da Grottenbier. O mais legal é que na área de recepção aos hóspedes do B&B, uma bela e ampla sala, duas pequenas geladeiras completamente lotadas de St. Bernardus ficam a disposição para o consumo; o detalhe é que todas as cervejas consumidas são cortesia da casa, assim como o excelente queijo Watou que acompanha perfeitamente as cervejas.

Como se não bastasse tomar ótimas cervejas e degustar ótimos queijos em um belíssimo lugar, nossa anfitriã também possibilitou uma visita à cervejaria.
Fundada em 1946 a St. Bernard é uma combinação perfeita da tradição com a modernidade. Novíssimas linhas de engarrafamento e tanques de fermentação contrastam com o antigo
mashing tun da cervejaria, original de 1946.

A visita à cerverjaria foi conduzida pelo Marco, que me confirmou que as cervejas, Abt, Prior e Pater são produzidas todas com os mesmos ingredientes, mudando apenas, obviamente, as proporções. Além disso ele me disse que o delicioso sabor levemante azedo da Witbier da St. Bernardus não é proveniente de algum tipo de fermentação láctica, mas sim de um processo de produção extremamente difícil que foi desenvolvido com ajuda de Pierre Celis. Além disso, foi justificada a presença de duas Tripel no portfólio da cervejaria. A primeira delas a St. Bernardus Tripel (8% ABV) é um pouco mais adocicada e menos lupulada que a Watou Tripel (7,5%). Ambas são ótimas.

Foi muito interessante ver que a St. Bernard, uma fábrica de cervejas relativamente antiga, que produz cervejas de acordo com uma tradição mais antiga ainda, vem enfrentando os desafios atuais e a concorrência com grandes cervejarias de maneira altamente eficiente. O elevado número das exportações e as constantes reformas e modernizações na cervejaria são, ao mesmo tempo, uma das causas e uma prova, de que a tradição de se produzir cervejas de altíssima qualidade em Watou experimentará, felizmente, ainda muitos anos de glórias.

Abaixo uma antiga garrafa da Abt 12 quando o contrato entre a St. Bernard e a Sint-Sixtusabdij ainda estava em vigor.


Proost!

Um comentário:

  1. Ola Fê!
    Foi incrivél conhecer la brasserie St BERNARDUS!
    Foram umas da melhores que eu ja provei!Obrigada pela oportunidade de conhecer tantas cervejas incrivéis!
    um beijo
    je t`aime

    ResponderExcluir